O Pedal Social e o processo de pertencimento

pedal social cambuci

A implantação do programa  Pedal Social numa comunidade requer muito estudo e planejamento. Embora o programa tenha nascido para auxiliar a comunidade de baixa renda , alta vulnerabilidade social , ou ainda o segmento da população sem recurso  para pagar  o transporte público no uso da bicicleta para o trabalho,  cada nova comunidade tem seus desafios e suas necessidades que necessitam ser levadas em consideração, no entanto,  descobrimos que a força do Pedal Social está em diversos  propósitos.

 pedal social cambuci3_800Oficina de Mecânica com adolescentes.

No bairro  Cambuci em São Paulo, o programa  faz parte do Projeto Ateliê Brasil , uma parceria que visa  reduzir custos dos participantes, trabalhadores e gerar renda para adolescentes em alto risco e de vulnerabilidade social, o projeto  esta instalado numa escadaria no bairro do Cambuci, é uma intervenção urbana cujo objetivo é o desenvolvimento de uma renovação estética de dentro para fora das comunidades (cortiços e ocupações locais) , que cria  oportunidades de diálogos e  uma ponte para  discussão de melhoria da qualidade de vida local. Também é um laboratório social onde o aprendizado é mútuo e constante.

 pedal social cambuci2_800Ocupando espaço para o bem social

O Pedal Social não é um projeto engessado, um modelo cheios de regras que a comunidade precisa “se enquadrar”  para fazer parte,  o programa é um processo de aprendizado, de “empoderamento” dos participantes e da própria comunidade. Todo o processo é  construído com e pela comunidade, as bicicletas são doadas pela sociedade, e a gestão é compartilhada localmente, todo o controle é feito na confiança entre os participantes, o bem estar gerado pelo programa é compartilhado entre todos.

 

Durante o  processo de implantação do programa o bairro sofre uma primeira intervenção urbana, é muito importante que a comunidade tenha identificação com o projeto, reconheça e reforce o  sentido de pertencimento e da  “apropriação do espaço” e  do programa.

 

No  Cambuci o projeto teve forte identificação com as crianças e adolescentes das comunidades locais, que nunca tiveram a possibilidade de ter uma bicicleta, com isso,  abriu-se um espaço para que as crianças apropriassem do projeto. Desde o início as crianças e adolescentes receberam o projeto de braços abertos e  todo o processo de implantação teve forte participação das crianças.  Tivemos uma preocupação muito grande de fazer as crianças entenderem que o projeto é para os Adultos poderem trabalhar nos dias da semana  e nos finais de semana haverá alguns horários que as crianças e adolescentes poderão fazer uso das bicicletas.  A princípio as bicicletas serão emprestadas aos finais de semana para lazer das crianças , mas o objetivo é que as bicicletas sejam  “alugadas” para  “turistas” para que eles conheçam todo o projeto social do Instituto Brasil na região do Cambuci e Ipiranga,  que envolve várias comunidades locais, com todo o trajeto feito de bicicleta, conduzido por um adolescente  e com direito a um almoço educativo dentro de uma ocupação. A renda gerada vai ajudar a família destes adolescentes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s