O que é o Pedal Social?

pedal social LOGO

Pedal Social

O Projeto Pedal Social é resultado de um estudo informal  sobre os  movimentos pendulares da população em situação de rua,  trata-se de um contingente de pessoas que estão vivendo á margem da sociedade,   em ocupações, cortiços, pensões, hotéis sociais , albergues , favelas e na rua, De acordo com o IBGE, do contingente de brasileiros que vivem em condições de extrema pobreza, 4,8 milhões têm renda nominal mensal domiciliar igual a zero, e 11,43 milhões possuem renda de R$ 1 a R$ 70 destes , 53,3% mora em áreas urbanas, onde reside a maioria da população – 84,4%. Isso significa que  1,  a cada 10 brasileiros estão nestas condições, muito abaixo da linha de pobreza, desprezados  pelo poder público e muitas vezes sobrevivendo de projetos assistenciais .

Em síntese o estudo demonstra  que uma parte da população em situação de rua tem sérias  dificuldades de chegar ao trabalho, parte destas  pessoas possuem famílias vivendo em bairros distantes ou mesmo em outros municípios da área metropolitana e  preferem ficar durante a semana em albergues ou mesmo na rua , evitando voltar para casa para não  arcar com altos custos de transportes públicos ou grandes  deslocamentos  a pé. Uma parcela significativa evita empregos distantes porque não possuem dinheiro suficiente para o pagamento do transportes públicos no primeiro mês de trabalho, outra parcela da população de baixa renda  com até 1 salário mínimo chega a ter 1/3 do salário comprometido com transportes públicos.

O Pedal social é um Projeto desenvolvido pelo Instituto Mobilidade verde, cujo piloto foi desenvolvido no Centro de São Paulo como  uma alternativa para população em situação de rua  obter transporte gratuito para seus deslocamentos pendulares. A Bicicleta além de ser um veículo sustentável, que ocupa pouco espaço  na cidade,  tem baixa manutenção e pode ser operado com baixíssimo custo  e é uma excelente alternativa tanto para quem não tem recurso para o transporte público no primeiro mês ,  como também auxilia  na economia de recursos financeiros para aqueles que tem parte do seu salário comprometido com os altos custos de transportes públicos da cidade de São Paulo.

O projeto começou a ser testado em novembro de 2012, com 5 bicicletas que foram oferecidas para população em situação de rua cadastrados no Movimento Estadual  de Pessoas em Situação de Rua.   As pessoas cadastradas  que já estavam com empregos garantidos recebiam uma bicicleta para irem trabalhar com a responsabilidade de devolver o veículo nas mesmas  condições que ele recebeu no final do mês . O projeto se mostrou eficiente logo nos primeiros meses, com uma demanda de 100 pessoas aguardando uma bicicleta para poder trabalhar.

O Instituto Mobilidade Verde é uma ONG sem fins lucrativos que trabalha com a Mobilidade Urbana e ocupação do solo como meio de desenvolvimento social, através de atividades  que ajudam a colocar as pessoas em contato com seu meio ambiente urbano e com a sua comunidade  com o objetivo de preencher as  lacunas sociais e geográficas criando  espaços para as cidades  descobrir-se.

OBJETIVO:
Transporte acessível e sustentável para Inclusão social.

Contexto:
Existem diversas realidades para apopulação em situação de rua , todas elas originadas por tragédias pessoais tais como, acidentes,  enchentes, perda de emprego, drogas, alcoolismo, falta de apoio governamental, quadros de doenças mentais entre outras questões complexas. O fato é que ninguém quer viver nas ruas ou escolheu viver assim, no entanto, um conjunto de fatores levaram estas pessoas para esta condição.

Motivação
Numa pesquisa realizada com pessoas nesta situação, verificamos que uma das principais dificuldades para quem está nas ruas e não consegue trabalhar (principal porta de saída das ruas) é a falta de dinheiro para utilização de transporte coletivo (Público) no primeiro mês de trabalho, o que inviabiliza os deslocamentos destas pessoas, pois geralmente a empresa não adianta o vale transporte e sem condições de fazer grandes deslocamentos a maioria das pessoas não conseguem  ir para o emprego.

Solução
Pensando nisso, procuramos o Movimento Estadual de pessoas em situação de Rua para em parceria, desenvolver um sistema de empréstimos gratuito de bicicletas para as pessoas que necessitam de transporte gratuíto no primeiro mês de trabalho.

Para fazer parte do programa, o interessado deverá comparecer no escritório do movimento de pessoas em Situação de Rua e preencher um cadastro para inscrição no Programa.

O Projeto é gratuito e sobrevive de doações de bicicletas da população que são direcionadas para quem precisa.

Movimento Estadual da População em Situação de Rua
Rua José Bonifácio, 398 Lj. 01
Cep: 01003-000 – Centro – São Paulo – SP

Fazer a inscrição para o programa e aguardar disponibilidade de bicicleta.

Projeto Piloto com Coletivo Novaiorquino Swoon

Em 2011, fizemos um projeto piloto do Pedal Social durante a exposição “De dentro para Fora” em cooperação com o coletivo de arte SWOON:

A idéia era compartilhar uma bicicleta de forma gratuita, as pessoas seriam responsáveis pela manutenção da bicicleta, após uso , as pessoas deveriam compartilhar com outra.

SWOON – perfil (http://www.nola.com/arts/index.ssf/2011/06/street_artist_swoon_creates_se.html)

Da Flórida onde nasceu batizada Caledonia Dance Curry em 1977, Swoon mudou-se para Nova York aos 19 anos, e lá estudou no Pratt Institute. Destaque no cenário da arte urbana contemporânea, conhecida desde 1999 por trabalhar com colagens de tamanho real em muros, além de xilogravuras. Utiliza muito papel impresso e pintado e suas obras têm grande parentesco com a técnica do estêncil, mas com aplicação invertida. Passa horas recortando papel com estilete, moldando madeira e papelão para dar origem a grandes instalações (ou cenografias). É também exímia pintora. Segundo o curador e crítico Carlo McCormick, o trabalho de Swoon reflete o sentido que cada um experimenta do mundo (Swoon – Graffiti Artist, 2010, publicado pela ABRAMS).

Membro do Justseeds Artist Cooperative, que comercializa arte pela internet e atrela essa iniciativa a atividades e causas sociais, Swoon é politizada e mobilizadora. Busca sempre atuar com um grupo grande de pessoas e seu espírito agregador move colegas artistas, engenheiros, arquitetos. Em 2008, no México, conheceu as histórias de garotas seqüestradas e estupradas na fronteira com os Estados Unidos, o queacabou gerando uma instalação com ares de memorial de uma das vítimas, proporcionando uma discussão social sobre os crimes. Também em 2008, outro de seus projetos agregadores foi uma parada de barcos construídos com materiais descartados. A performance levou um grupo de jovens a correr o Rio Hudson, em Nova York, e foi intitulada Swimming Cities of Switchback Sea. Em 2009, Swoon organizou uma performance similar durante a Bienal de Veneza, circulando pelos principais canais da cidade.  Em 2010, esteve no Haiti após o terremoto com o propósito de desenvolver, com moradores de um vilarejo, alternativas para a construção de abrigos e residências adequadas ao clima (http://konbitshelter.org/). Recentemente, expôs na mostra coletiva Viva La Revolución: A Dialogue With the Urban Landscape, no Museu de Arte Contemporânea de San Diego, Califórnia.

pedal social masp

Pedal Social no Masp

Na mídia:

http://globotv.globo.com/globo-news/estudio-i/v/projeto-pedal-social-empresta-bicicleta-para-que-nao-tem-dinheiro-para-ir-trabalhar/2470645/

pedal social

http://cbn.globoradio.globo.com/cbn-sp/2013/03/02/PEDAL-SOCIAL-OFERECE-EMPRESTIMO-DE-BICICLETAS-PARA-QUEM-NAO-PODE-PAGAR-ONIBUS.htm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s